28 de julho de 2009

O primeiro dia da lei contra fretados

Ontem eu voltei a trabalhar, eu bem que tentei argumentar aqui no meu trabalho que e precisava de mais umas 5 semanas. Não sei porque o meu chefe achou que era piada. Enfim... Ontem, começou a lei contra fretados. Mais uma coisa para aumentar a nossa carga diária de stress. Eu até entendo alguns dos argumentos usados para fazer a Lei vigorar, mas achei que tudo foi muito mal planejado. Por exemplo, os locais para embarque e desembarque não comportam todos os ônibus o que gera muito mais caos no local.
No meu caso, como eu venho do interior do Estado, desembarco na Barra Funda. Um dos pontos positivos é que eu sempre vou pegar o contra fluxo do metrô, ou seja, o metrô não é muito lotado pra gente. Apesar disso, na hora de ir embora ontem, o motorista do fretado não tinha noção de onde poderia parar, nós não sabíamos onde ele iria parar e isso nos atrasou em 20 minutos. Quando finalmente estávamos todos sentados e rumo ao interior, nos deparamos com outros fretados e carros que também fariam o mesmo percurso. Eu só sei que no fim das contas eu cheguei em casa 20:40, sendo que saio do trabalho às 17:30. O fato de eu chegar esse horário em casa, significa que a viagem demorou uma hora a mais.

Isso em férias escolares.

Todos esses eventos só demostra a grande falta de respeito com as pessoas que enfrentam o trânsito de São Paulo. E um grande desprezo pelas pessoas que trabalham nesta cidade. A minha opinião é que essa é mais uma demostração de quando o poder está em mãos erradas, de pessoas que só querem medir forças e mostrar que estão certas a todo custo. Uma lei do tipo pode ser aplicada, se bem estudada e planejada, mas não enfiada güela (que é estranho escrever sem trema) abaixo das pessoa que têm que se submeter a ela.

Um comentário:

hassuna disse...

Essa lei dos fretados foi uma das mais infeliz da história, é incrivel como pode... desde o inicio ela estava(e está) errada. Concordo plenamente!